Pesquisadores


Tirso Sitoe


Diretor Executivo, pesquisador e fundador da Bloco 4 Foundation. Mestrado e pós-graduado em Relações Interculturais pela Universidade Aberta de Lisboa- Portugal (2017), a dissertação explorou experiências sobre como o RAP de protesto é um espaço onde os músicos e o público exercem seus direitos cívicos e de cidadania em Moçambique pós-colonial. Além da docência em Metodologias de investigação científica, Antropologia cultural, Antropologia jurídica no Instituto Superior Monitor em Maputo, onde exerce também, o cargo de diretor associado do Centro de Investigação em Economia e Sociedade (CIES). Tem colaborado em vários projetos de investigação internacional, especialmente com o Instituto de Etnomusicologia INET-Md, com sede na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e integrou a iniciativa do Projeto Mapa africano de Humanidades através da Bloco 4 Foundation, coordenando um uma iniciativa intitulada “cultura popular, ativismo e mudanças sociais em Moçambique” financiado pelo Consortium of Humanities Center and Institute, baseado na Wisconsin-Madison University (UW-Madison) nos Estados Unidos; o projeto “cidadão observador eleitoral” implementado em Nampula, Sofala e Inhambane, financiado pela Oxfam Internacional em Moçambique. No campo cinematográfico dirigiu a realização de uma curta-metragem intitulada “Gerações em lutas por utopias” (2019). A sua investigação centra-se em questões ligadas as culturas juvenis, sociabilidades e processos de identificação de juvenil; Cidadania, artivismo e direitos humanos em Moçambique; Dinâmicas espaciais e movimentos sociais em contexto urbano; Música de crítica musical e protesto social em Moçambique pós-colonial; ativismo digital e artefactos tecnológicos como lugares de engajamento cívico e memória coletiva.

Janne Rantala


É um antropólogo cultural que defendeu sua tese em setembro de 2017 na Universidade da Finlândia Oriental e é também, pesquisador coordenador da Bloco 4 Foundation. Seus interesses de pesquisa incluem temas como memória pública e lembrança, hip-hop, estrutura e liminaridade, licença poética e movimentos sociais. Atualmente, em 2018-2019, realiza sua pesquisa de pós-doutorado no Programa Flagship DST / NRF, o Centro de Pesquisas Humanas (CHR), da Universidade do Cabo Ocidental, onde continua sua pesquisa sobre música rap moçambicana e memória pública. Durante seus estudos de doutorado, foi professor visitante no Centro de Estudos Africanos da Universidade Eduardo Mondlane, em Moçambique, e passou períodos curtos na Universidade de Dar es Salaam, na Universidade de Rhodes, no Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa, da Universidade de Anadolu, do Instituto Nórdico de África e da Universidade de Kwazulu-Natal. O seu trabalho recente sobre o rap de Maputo é ‘Hidrunisa Samora’: Invocations of a Dead Political Leader in Maputo Rap, publicado no Journal of Southern African Studies (JSAS). Ele foi vencedor do Colin Murray Grant em 2017 concedido pelo JSAS, o que o ajudou a lançar sua nova pesquisa de campo na Beira e Chimoio, no centro de Moçambique. Além de sua pesquisa, ele também está envolvido em projetos de arte. O seu primeiro programa de rádio “Samoran lapset” (em inglês: Children of Samora), baseado nos seus estudos de hip-hop em Maputo, foi transmitido na Finnish Broadcasting Company em dezembro de 2018.

Vera Gaspareto


É doutorada no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina (DICH/UFSC – Brasil. Atualmente é pesquisadora da Bloco 4 Foundation e pesquisadora associada do Centro de Estudos Africanos – UEM. Tem um mestrado em Sociologia Política (PPGSP/UFSC) e Graduada em Comunicação Social/Jornalismo na UNISINOS. Realiza pesquisas na área de gênero, políticas públicas, mídia, comunicação, artivismo, movimentos sociais e ativismo, juventudes, mundo do trabalho, educação.

Edgar Barroso


Atualmente frequenta o programa de doutoramento em Relações Internacionais no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Ankara Yildirim Beyazit. Barroso é mestre em Estudos Africanos – Educação e Desenvolvimento, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto em Portugal e licenciado em Relações Internacionais e Diplomacia, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, Maputo. Em 2016, foi um dos jovens líderes africanos, selecionados pelo seu cometimento com o desenvolvimento de África, para a integrar um programa de treinamento em “Liderança Cívica” do programa YALI, no Centro Regional de Liderança da África Austral-Pretoria, oferecido pelo YALI- Regional Leadership Center, Mozambique. Sua pesquisa se concentra em áreas como educação e cidadania, ativismo político, juventude e processos políticos e de governação em Moçambique.

Nelson Mugabe


É doutorado em Ciências Sociais na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil onde obteve o seu mestrado na mesma área. Licenciado em Antropologia pela Universidade Eduardo Mondlane, Mugabe tem feito pesquisa sobre relações socias de género e sexualidade, homossexualidades, direitos humanos usando a antropologia visual como espaço de expressão de práticas quotidianas em Moçambique.

Carlos Guerra Junior


É doutorando em Ciências da Comunicação pela Universidade de Coimbra, em Portugal. Mestre em Comunicação e Jornalismo pela mesma universidade. Investiga o rap como forma de ativismo político, analisando casos no Brasil, Portugal, Angola e Moçambique. Graduado em jornalismo e radialismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, no Brasil. Concluiu ainda MBA em Administração e Marketing Esportivo pela Faculdade do Nordeste. É artista, atuando como RAPentista, uma mistura entre o rap e o repente, ritmo do Nordeste do Brasil. É também produtor cultural, realizando prioritariamente eventos sobre a cultura hip hop em universidades.

Francisco Mbendzane


Actualmente é finalista no curso de Ciência Política pela Universidade Eduardo Mondlane, também pesquisador-assistente da Bloco 4 Foundation. Sua pesquisa está virada para as relações entre a Música de protesto e crítica social e processos políticos em Moçambique, como forma de dar a conhecer a importância e o impacto da música na política e na sociedade. Interessa-se também por questões ligadas a mobilização social, focando-se na música e no uso das tecnologias digitais (redes sociais) como formas de promover a participação e engajamento publico em questões sociais ou políticas.

Salomão Nicasse


Estudante finalista do Curso de Licenciatura em Antropologia na Universidade Eduardo Mondlane (UEM), e se encontra a desenvolver o seu trabalho de culminação de estudos intitulado: “experiencias e dinâmicas de avaliação em contextos universitários”. Representou a Faculdade de Letras e Ciências Sociais na feira da CADE-Comunidade Académica para o Desenvolvimento em 2019; participou em representação ao seu curso no dia aberto do mesmo ano; é membro do grupo Movimento Ativista Moçambique desde 2018, tendo uma vasta experiência em mobilização comunitária, integração de conhecimentos socio-antropológicos nos programas de desenvolvimento e de saúde pública, e actualmente é pesquisador assistente da Bloco 4 Foundation. Pesquisa sobre educação e cidadania, processos de desenvolvimento e políticas públicas olhando para os mecanismos de operação e seus prováveis impactos na ordem social, econômica e cultural em Moçambique.

Adriano João Tchauque


Pesquisador-assistente da Bloco 4 Foundation. Licenciado em Ciência Política pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM), o seu Trabalho de Culminação de Curso procurou explorar os reais factores que caucionaram o indeferimento de candidaturas nas eleições autárquicas de 2018, num cenário que se pretendia o incremento da participação partidária e inclusividade na democracia moçambicana. Membro fundador do grupo Centro de Estudos de Transformação Social (CETS), desenvolveu um estudo denominado: Entre a Insurgência, Capacidade de Resposta e a Soberania do Estado: Uma abordagem a partir dos últimos ataques. Para além dos estudos já desenvolvidos, a sua linha de pesquisa encontra-se voltada aos Estudos e Processos Eleitorais enquanto um dos pressupostos que legitimam os governos democráticos e, Juventude-Liderança. Tem colaborado em projectos e trabalhos voluntários, tais como: Festival D’Ouro que é um intercâmbio cultural desenvolvido para província de Gaza (Chibuto), que tem os jovens como os principais impulsionadores. No trabalho voluntário, efectuou actividades de observação eleitoral pela Sociedade Aberta (2019).

Alfiado Luís Biosse


Pesquisador-assistente da Bloco 4 Foundation. Estudante finalista no curso de Ciência Política pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM), membro fundador do grupo de pesquisa denominado Centro de Estudos de Transformação Social (CETS). Entusiasta da participação política, principalmente a participação política da juventude. Sua área de pesquisa está virada a análise de instituições participativas que possibilitam a participação dos cidadãos durante os ciclos governativos (Conselhos Consultivos, Orçamento Participativo, Presidências Abertas) no sentido de reflectir sobre a sua real contribuição para o reforço da democratização na governação municipal em Moçambique. E, actualmente, encontra-se a desenvolver um estudo que explora o Orçamento Participativo no município de Maputo. Tendo um ensaio intitulado: a saúde na estruturação da acção dos Estados: lentes globais vs olhos locais na análise da covid-19 em Moçambique; publicado pelo CETS.

António Bai Sitoe júnior


Pesquisador assistente na Bloco 4 Foundation.  Licenciado em Ciência Política na Universidade Eduardo Mondlane (UEM). Além de pesquisador na Bloco 4 Foundation, é membro fundador do grupo, Centro de Estudos de Transformação Social (CETS). Um grupo virado à pesquisas que através de vários meios como vídeos, artigos científicos e debates de ideias intenta a transformação social, focando para a Democracia, Desenvolvimento, juventude-liderança. Desenvolveu estudos denominados (1) Entre os Recursos naturais, a guerra, e a COVID-19 em Cabo Delgado; (2) Cabo Delgado: Desafio à legitimidade do Estado ou novo monopólio da força. Além dos estudos publicados a sua linha de pesquisa abrange, também as diversas componentes que estejam ligadas a sociologia do crime, Intimidação Política, Liberdade de Expressão e manifestação.


English EN Portuguese PT