Programas de Pesquisa

Antropologia visual e da imagem

Estudo das relações humanas em contextos sociais e históricos específicos, que se utiliza de instrumentos visuais, sonoros, tecnológicos na produção etnográfica, analisados a partir de teorias antropológicas.


Artivismo e o direito à cidade

Vimos atualmente nas cidades moçambicanas, ocupações de espaços públicos, por coletivos de diversas índoles, dispersos ou organizados, na luta pelo direito à cidade, a partir de uma grande multiplicidade de iniciativas, voltadas à denúncia de vulnerabilidade social e que atenta contra ordem ideológico- político instituída, o que sugere-nos pensar, na forma como se dão e são negociadas, as diferentes fricções entre estes e o Estado, a partir das lentes do artivismo. Neste sentido, este grupo de pesquisa, centra-se (I) em documentar e compreender questões de visualidade urbana no contexto de diálogos glocais, que definem as formas existenciais da cidade (ii) promover espaços de engajamento coletivo, através intervenções artvistas urbanas e (iii) advogar por uma política de visualidade.


Políticas de intimidade

O processo de busca de garantia dos direitos humanos, prestação de contas, transparência, boa governação entre outros, tem vindo a ocupar um espaço cada vez mais relevante no cenário político e social, no decurso das lutas políticas e sociais nas diferentes organizações da sociedade civil em Moçambique. Apesar de significativos avanços no que concerne, ao estabelecimento da lei de liberdade de expressão e informação, a repressão por parte do Estado e cumplicidade judicial, tem revelado a existência de relações de intimidade bastante tensas, entre o governo e diversos segmentos da sociedade civil. Este grupo de pesquisa, busca documentar e refletir sobre o lugar da liberdade de expressão no contexto de um Estado “militarizado” em Moçambique.


RAProtestar

No contexto dos movimentos sociais em Moçambique, tem sido notório nos últimos tempos, o surgimento de vozes no seio da juventude, que baseando-se no principio de representatividade, tem questionado incansavelmente os representantes do Estado, sobre os processos políticos e económicos no contexto da governação. Nesta senda, estes movimentos vem promovendo espaços para afirmação de uma cidadania ativa, socorrendo-se de múltiplas iniciativas para expressar-se, dentre as quais a musica. Este grupo de pesquisa, analisa as diferentes configurações de engajamento cívico e de cidadania em Moçambique, centrando-se apenas em narrativas musicais de RAP de protesto, como ponto de entrada para a compreensão das dinâmicas de poder, entre os músicos, o público e representantes do Estado.


Diversidade sexual e de gênero, ativismo, cidadania e direitos humanos

Reúnem-se nesta linha de pesquisa investigadores que têm realizado pesquisas em temas e questões relacionadas às seguintes temáticas: sexualidades, relações sociais de gênero, movimentos sociais, ativismo, políticas públicas e direitos humanos. Nessa perspectiva, há especial interesse na análise de políticas nacionais e internacionais focadas nas diferentes formas de luta política pelos direitos das mulheres e para redução da violência de gênero, ações para o combate à discriminação sexual e também na análise de políticas de Estado que promovem a igualdade de gênero e diversidade sexual em suas diferentes expressões