Repensando os movimentos sociais

Edgar Barroso,
pesquisador da Bloco 4 Foundation, brindou-nos no dia 30 de Maio com uma
apresentação de seu documento de pesquisa em que propõe-se explorar as
dinâmicas de movimentos sociais em Moçambique, recorrendo-se a narrativas
musicais do RAP de protesto.

Nesta conversa,
Barroso centrou-se especialmente no álbum “O Enteado da pátria” fazendo
referência a alguns extratos musicais contidos em algumas musicas do rapper
moçambicano Olho Vivo, ex-integrante de um dos grupos mais influentes de RAP de
intervenção social em Maputo, Banda Podre, como ponto de entrada, para
problematizar a denúncia de uma realidade percebida como opressora, tipicamente
feita por outsiders de um dado contexto sociopolítico em Moçambique, mas também
e essencialmente de engajamento e de desafio ao status quo.

O evento teve a
participação de Eduardo Lichuge, o rapper e ativista André Cardoso, e Tirso
Sitoe, Diretor executivo e pesquisador da Bloco 4 Foundation e decorreu na sala
de palestras da Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduardo Mondlane,
Maputo, Moçambique.