Bloco 4 Foundation


A Bloco 4 Foundation é uma instituição que procura promover a construção de espaços de pesquisa sobre ativismo, cidadania e políticas sociais em Moçambique.


Aquando da sua criação, em 2007, era designada “ASSOCIAÇÃO BLOCK4”, inspirado no nome do Distrito Municipal Número Quatro (4), atual KaMavota, que se situa nos arredores da Cidade de Maputo. Na altura, as suas atividades limitavam-se geograficamente  à cidade de Maputo. Hoje, porém, a Associação está focada no exercício do ativismo, cidadania e empreendedorismo social a nível nacional. Dentro de uma perspetiva glocal, em que diferentes agrupamentos sociais formam-se, aliam-se e afirmam-se contra um conjunto de marcadores identitários que remetem à exclusão e injustiças sociais, protagonizadas pelo Estado ou pelas grandes corporações, pretende desenvolver um conjunto de alternativas dentro de um campo de possibilidades, em que a juventude possa ser protagonista central, em cenários de participação democrática e emancipação social, por via de uma plataforma de diálogo entre diferentes atores e instituições sociais, como forma de explorar um corredor de contingências de transformações e articulações, entre as novas e velhas formas do saber social em contextos de mudança. Organizativamente, desenvolvemos programas que assentam em três conceitos (ativismo, cidadania e empreendedorismo social), fundamentais que guiam nossas atividades. Os nossos programas abarcam componentes de pesquisa académica e de intervenção social à medida que entendemos que possam contribuir de forma significativa para emancipação social em defesa de grupos mais vulneráveis no cenário político e social moçambicano.


Missão

A nossa missão é de contribuir para a garantia dos direitos fundamentais às comunidades menos favorecidas, promovendo a pesquisa sobre o ativismo, cidadania e políticas sociais em Moçambique.


Visão

Tornar-se uma instituição de referência nacional e internacional na componente de pesquisa sobre o ativismo, cidadania e políticas sociais em Moçambique, pois, entendemos serem as componentes-chave para a governação democrática, a resolução da problemática da exclusão social, a transparência no contexto das relações entre os cidadãos e o Estado em Moçambique.